15 de julho de 2018

Um “grito de gol” ou um “grito de injustiça”? – 10ª Edição Maio/18

Conta-se que em uma de suas reuniões, Hitler pediu que lhe trouxessem uma galinha. Agarrou-a forte com uma das mãos enquanto a depenava com a outra. […]
6 de novembro de 2017

Anarquia? Intervenção Militar? Diálogo? Qual a solução? – 8ª Edição Outubro/17

Os psicólogos costumam dizer que tudo aquilo que foi reprimido, mais cedo, ou mais tarde, aparece de forma desordenada. Abaixo citamos alguns exemplos presentes na própria sociedade: a sexualidade reprimida, não refletida, não trabalhada […]
18 de agosto de 2017

Bispos convocam jejum e semana de oração pela Pátria – 7ª Edição agosto/17

No antigo testamento, o rei que deveria pastorear seu povo, era ungido pelo profeta local. Este, por sua vez, deveria denunciar as injustiças porventura cometidas no […]
18 de maio de 2017

O Cristão pode estar na política? – 6ª Edição maio/17

Se várias pessoas forem conviver numa mesma casa, naturalmente, para que a convivência de pessoas tão diversas seja possível num mesmo espaço, regras terão de ser […]
18 de dezembro de 2016

Assistencialismo: A Igreja é contra ou a favor? – 4ª Edição dezembro/16

Um dos aspectos inéditos do Cristianismo é que na base da fé está a crença em um eus Todo-Poderoso que se fez pobre para nos enriquecer. […]
18 de outubro de 2016

Eleições – 3ª Edição outubro/16

Nestes tempos de corrida eleitoral, vem muito bem a calhar uma clássica metáfora que pode nos ajudar a refletir sobre o compromisso de todos com a […]
18 de agosto de 2016

As coisas foram mesmo sempre assim? – 2ª Edição agosto/16

Com alegria damos início à publicação deste informativo de nosso Grupo: Fé e Política. O trabalho que nasce me lembra uma bela metáfora: Fala-se de uma senhora tida por louca que ao pegar o trem, sempre enfiava a mão numa sacola e parecia jogar algo pela janela...
4 de maio de 2016

Mudando a paisagem – 1ª Edição Maio/16

Com alegria damos início à publicação deste informativo de nosso Grupo: Fé e Política. O trabalho que nasce me lembra uma bela metáfora: Fala-se de uma senhora tida por louca que ao pegar o trem, sempre enfiava a mão numa sacola e parecia jogar algo pela janela...